EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS

 

São exercícios espirituais todas as atividades que visam fortalecer nossa capacidade dual: de interiorização e de contato com a Divindade. Exercícios espirituais possibilitarão uma capacidade de utilização de potencialidades superiores do cérebro. Costuma-se afirmar que o ser humano usa apenas 10% do seu cérebro, mas isso não é verdade. Ele não usa tudo isso. Talvez um ser humano comum utilize uns 8% no máximo. Homens como Albert Einstein e Stephen Hawking podem ter chegado a usar os 10%, mas não o ser humano vulgar.

 

Um exercício espiritual é uma atividade que permita ao homem uma introspecção. É compenetração.  Algo que requer um vivo interesse, que requer total atenção e que faz com que a pessoa esteja mergulhada naquela atividade, isso é um exercício espiritual. Essa é uma definição geral, posto que foram criados exercícios espirituais com o propósito específico de  promover desenvolvimento espiritual.  É o caso, por exemplo, dos famosos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola.


Acontece que, como está descrito logo na Introdução dos Exercícios, o livro não foi feito para quem vai praticar, e sim para orientar a quem vai aplicar os Exercícios a outros, e esses orientadores são designados como Diretores Espirituais.  Mas isso não implica no fato de que uma pessoa sozinha não possa aplicar os Exercícios, pois ela  pode fazê-lo, mas terá grandes dificuldades.  É preciso ter alguém capacitado para orientar na sua prática correta.


Basicamente consiste em um conjunto de atividades, físicas e mentais que serão executadas de forma altamente disciplinada por um período de cerca de 30 dias, podendo ser um pouco mais ou um pouco menos, de acordo com os critérios do Diretor Espiritual.  Esses Exercícios espirituais não são acessíveis a qualquer pessoa: só mesmo uma pessoa com determinação pode concluí-los, com ou sem o acompanhamento de um instrutor.


Existe também a disciplina espiritual estabelecida por São João da Cruz. Ele foi contemporâneo de Santo Inácio, mas sua forma de se expressar era a poesia. Ele escreveu belíssimos trabalhos como Chama Viva de Amor e A Subida do Monte Carmelo, mas o que nos interessa aqui é A Noite Escura da Alma. Trata-se de uma extensa poesia mística onde são descritas, de forma poética e velada, a situação de uma alma em busca de Deus, seus percalços, dificuldades e procedimentos para atingir seu objetivo. É um trabalho tão importante que São João da Cruz tem o título de Doutor Místico da Igreja.


Mas como tudo o que ele descreve está escrito de forma velada, é preciso saber ler nas entrelinhas. Toda uma realidade espiritual está descrita de uma maneira que é preciso saber interpretar. Por isso também aqui será preciso contar com a orientação de alguém que conheça a prática da Noite Escura da Alma.  E se acontecer da pessoa pretender aplicar o método sozinha, será absolutamente imprescindível e obrigatório que primeiro tenha praticado os Exercícios Espirituais de Santo Inácio, pois precisará ter uma boa base nesse tipo de estudo.  Pretender praticar a disciplina da Noite Escura sem orientação e sem ter praticado primeiro os Exercícios será uma completa perda de tempo.

 

Há pessoas que meditam. Outras gostam de se concentrar ouvindo música. Outras o fazem caminhando. Outras meditam profundamente enquanto trabalham, pintam, esculpem.  Há diversos exercícios que podem e devem ser praticados no Altar, enquanto outros podem ser feitos em qualquer lugar. Tem que ficar esclarecido que a mente precisa ser treinada, exatamente como acontece com os músculos.

 

A mente humana é capaz de produzir efeitos que são prodígios mas que podem parecer verdadeiros   milagres. Mas nada mais são que a aplicação da vontade de uma mente treinada. Ao mesmo tempo em que fortalecem, os exercícios espirituais vão ajudando a mente a se  livrar das amarras limitantes, aquele pensamento de retroação que diz  que tal ou tal coisa não é possível. A mente devidamente treinada   exige uma revisão na definição da palavra "impossível" , e por esta razão há toda essa importância no que tange a exercícios. De certa forma pode-se dizer que é um alívio que a maioria das pessoas não tem determinação para se  submeter ao rigor de tal treinamento.

 

O caso  é que quando nos pedem a prescrição de exercícios espirituais normalmente as pessoas esperam instruções grandiosas, destinadas a obter resultados fantásticos.  Mas isso não pode ser assim. Equivale a você, que é sedentário,  matricular-se em  uma academia de musculação e não querer começar com pesos  leves, indo direto para as cargas pesadas e séries avançadas. O resultado óbvio de se esperar será, no mínimo, uma contusão muscular, se não for coisa pior.  Por que  haveria de ter-se resultados diferentes em se tratando de exercícios espirituais?  Por qual razão se poderia supor possível a um sedentário mental se envolver repentinamente com atividades mentais superiores sem que houvesse qualquer risco? 

 

Há graduações, há um passo-a-passo.

 

O cérebro é a chave. os exercícios visam ativar suas potencialidades. Sem os exercícios o cérebro não é aproveitado da forma como poderia, sua capacidade instalada é usada apenas em termos básicos, o que se pode traduzir pelo termo "desperdício" . 

 

A prática da visualização criativa é altamente recomendada.  A mente pode produzir modificações físicas se o subconsciente for convencido de que aquilo é um fato. Há barreiras, há  uma coisa chamada "sistema de crenças" que vai estabelecer que tal coisa não é daquele jeito e por isso é rejeitada, mas se a mente subconsciente for convencida disto então as mudanças podem acontecer (desde que sejam razoáveis).


Só que o leigo normalmente incorre no erro clássico de querer contatar a  mente subconsciente usando palavras.  Mas essa mente é absolutamente simbólica, ela desconhece palavras, só se comunica  por símbolos.  Por exemplo, os sonhos, eles são uma forma de comunicação da mente subconsciente.

 

Seguindo a linha de graduação, a evolução dos exercícios propicia até efeitos notáveis.  Por exemplo, nas escalas superiores da meditação transcendental o indivíduo poderá até levitar, poderá produzir o voo ióguico dentre outros efeitos que atestarão que aquela mente foi treinada o bastante  para se impor à matéria à qual estava até então subordinada. Passa a haver então uma inversão de papéis.

 

Na verdade os limites estabelecidos serão apenas os que a  própria pessoa admitir. A mente subconsciente não é analítica ao ponto de julgar se tal coisa é real ou não. Assim, desde que seja devidamente convencida ela  aceita qualquer instrução e a aceita como real.  O grande problema está no método para convencê-la.  Só mesmo uma vontade sumamente forte pode impressionar a mente subconsciente, que é simbólica.  Então é necessário que a linguagem  usada seja através de símbolos, e para impor esses símbolos é preciso uma mente consciente muito treinada, e é aí que se enquadra a maior parte dos exercícios espirituais.

 

Exercício básico de visualização criativa:


Pega-se uma maçã e corta-se ao meio, um corte horizontal. Pega-se a parte de baixo e coloca-se no altar. Atrás deve estar uma vela acesa, de forma que seja essa a única luz naquele lugar.  Senta-se de forma confortável  na frente do altar, respira-se fundo algumas vezes.  Então, olhe para aquela metade de  maçã, olhe atentamente.  Agora comece a imaginar a outra metade dela, um pouco acima dessa  metade de baixo, e faça com que as  metades se encaixem. Visualize que a maçã está completa. Use toda a sua força de visualização para "ver" a maçã completa. Esse exercício pode ser feito várias  vezes por dia, mas cada sessão deve durar no mínimo meia hora, nunca  menos que isso.  Depois de alguns dias, quando essa visualização já puder ser feita sem nenhuma dificuldade então comece a "alterar"  essa maçã :  nessa nova sessão você deve alterar a cor. Mais adiante altere o formato, imagine que ela tem uma folha, até que na última sessão imagine essa  maçã completamente murcha.  Em todas as sessões você usará apenas a metade de uma maçã.  E esteja certo de que este é um ótimo exercício.

 

Use seus exercícios para se conectar com o Universo. Aprenda a se interiorizar, a mergulhar em si mesmo, a se conhecer. Cultive o espírito. Muitas pessoas prestam um culto absurdo ao corpo mas se esquecem do espírito, mas está errado. Os dois, corpo e mente, são como as duas metades da maçã. Um é real porque está sendo cultivado, mas o outro é imaginário. A mente deverá unir as partes para que reconstituam a Unidade. Busque o significado da frase : " O Todo não existe sem a Parte" .