LARVAS ESPIRITUAIS

 

A chamada larva etérea tem sido muito confundida com espírito e até com a alma, mas na verdade a larva etérea nada mais é que um resíduo de energia em dissolução que se desprende das pessoas após a morte. Essa energia, por imitação mecânica, vai vagar em busca da satisfação dos instintos, as sensações a que estava acostumada quando seu antigo hospedeiro era vivo. Larva etérea é o mesmo que PARASITA.


Vamos tomar como um exemplo um drogado.  Passou parte de sua vida se entregando ao vício, onde encontrava satisfação e isso o acabou matando.  Ao morrer, algo semelhante (mas não é) a um corpo astral se solta do corpo.  Ainda conserva os contornos mas vai perder a capacidade de conservá-lo.  É um molde de energia pesada, de baixa vibração. Para tentar prolongar sua existência vai ir em busca da satisfação do que lhe dava prazer quando seu hospedeiro estava vivo.

 

Vai vagar em busca de um drogado.  Enquanto não encontra, vai perdendo os contornos, de forma que a larva etérea do tipo padrão é sempre descrita como uma espécie de nuvem, algo como um  "pedaço de neblina" , que vai ficando cada vez mais transparente pois vai aos poucos sendo absorvida pelo telurismo terrestre, até desaparecer.
 

Ao encontrar alguém com o mesmo perfil do antigo hospedeiro, sempre por imitação mecânica, vai se apegar a essa pessoa, grudando-se em sua aura.  E dali vai incentivar esse drogado a se drogar cada vez mais, pois, por estar agarrada à aura dele, a larva  vai conseguir sentir alguns vislumbres das sensações que o drogado está experimentando, e isso dará à larva alguns instantes de prazer, o prazer a que estava acostumada.
 

Convém não esquecer que a larva etérea é um parasita, e como todo parasita, vai exaurir seu hospedeiro até matá-lo.
 

No exemplo do drogado, ela vai fazer com que ele busque um "prazer"  cada vez mais intenso, por uma razão simples:  a larva precisará que as doses do viciado sejam cada vez maiores para que ela possa continuar sentindo.
 

Mas ela vai lentamente perdendo as forças, pois a existência de uma larva etérea é relativamente curta.  Mas até que ela tenha sido extinta ela já deixou a sua vítima em um estado tal que sua morte é uma certeza.  E ao morrer, ele desprenderá sua própria larva , que também precisará se satisfazer e por sua vez sairá em busca de um hospedeiro, dando continuidade a um ciclo.
 

Todo tipo de vício atrai larvas etéreas, cada uma de acordo com suas necessidades.
 

Há larvas  que encontram prazer no álcool, e por isso se grudam na aura de alcoólatras e os incentivam a beber cada vez mais.
 

Mas as práticas de magias e rituais descontrolados também são um vício para muitas pessoas.  Pessoas que, sem habilitação, de repente se metem com a Magia e passam a fazer dela a sua razão de ser, a transformam em vício. Há larvas etéreas que são atraídas por isso, pois encontram satisfação em estarem unidas a pessoas assim.
 

Larvas costumam se manifestar em sessões espíritas mal-orientadas, e enganam os médiuns.  São as larvas que costumam se apresentar e pedir sacrifícios de animais em troca da concessão de pedidos.
 

É que seja qual for o tipo de larva, invariavelmente todas elas se sentem atraídas pelo sangue fresco. Matadouros, por exemplos, são lugares incrivelmente insalubres, pela concentração de larvas ali.  Os vapores do sangue dão às larvas a sensação de vida, e por isso muitas delas enganam médiuns e pedem "oferendas", na forma de sangue de animais, e para dar credibilidade se apresentam usando nomes de entidades que nos seus respectivos panteões são espíritos de luz. Poucas pessoas se dão conta do porque um espírito de luz iria pedir sangue como oferenda, e que não se trata do espírito iluminado e sim de uma larva etérea que usa o nome dele.
 

Mas vamos ver o que é uma larva etérea.  Veja esta foto:

 

 

   

                                                                                    

Esta é uma larva clássica. Por alguma razão esta se sente atraída por este ambiente.  Esta foto foi tirada em uma casa que foi posta à venda. É uma foto tirada apenas para mostrar aos interessados no imóvel mas ao ser revelada mostrou que o ambiente não está completamente vazio.
 

É comum que se fotografem larvas ao acaso.  Normalmente a pessoa que fotografa não vê nada disto na hora da foto, e isto só aparece na hora da revelação da foto.
 

Na foto abaixo, há uma curiosidade: a criança da foto dizia ver o avô, recentemente falecido. E apontava para o vazio e parecia brincar com o avô, que, em vida, passava muito tempo com o neto.  Em  uma dessas ocasiões em que a criança insistia ver o avô uma foto foi batida e isso apareceu:

 

   

                                                                                 

Parece que o vício do avô era seu neto, e conclui-se que sua larva etérea  busca satisfação na única coisa que lhe dava prazer em vida.
 

Mas uma outra foto foi batida na mesma casa e outra coisa estranha apareceu:

 

 

 

                                                                                                     

Tem-se a ideia de que a larva etérea do avô tem uma necessidade de estar próxima às crianças da casa.
                    

Agora veja a foto abaixo. Mostra um grupo de jovens de hábitos não muito recomendáveis. Observe-se as larvas que os rodeiam:

 

   


 

Outra foto mostra mais dessas larvas cercando pessoas:

 

   


Onde houver a possibilidade da satisfação do instinto lá estarão as larvas que se sintam atraídas por esta satisfação.  A simples reunião de pessoas mal-intencionadas já é suficiente para atrair as larvas, pois o contato é feito por empatia, ou seja, por afinidade.
 

Pessoas más, que vivem desejando o mal para os outros estão sempre cercadas por larvas etéreas.  São parasitas. É preciso que se livre delas.