O PODER DOS SALMOS

 

Os Salmos bíblicos são orações compostas, na sua maioria, pelo rei Davi (73) mas também por Salomão e outros, designados "salmistas". São orações que eram cantadas, algo como poesia musical pois eram recitados com o acompanhamento de instrumentos musicais e tinham um caráter sacro e solene, usadas apenas em ocasiões especiais e com fins litúrgicos.

 

Do ponto de vista esotérico, trata-se de fórmulas mágicas, onde cada Salmo tem uma função, todos tem uma finalidade. Deve ficar claro, porém, que eles não se destinam a propiciar vantagens e ganhos mundanos, como alguns poderiam supor. Há pessoas que, em todas as coisas sagradas em que põe as mãos ou os olhos, logo imaginam ali um meio de chegar ao Poder maior para pedir mundanidades ao invés de usarem essa possibilidade de aproximação com a divindade para se purificarem.
 

A palavra SALMO vem de uma palavra grega que é traduzida por "louvor"  ou  "cântico", sendo neste caso um cântico sacro. São 150 cânticos, cada qual com sua função, e os divide em 4 categorias:

 

Louvor: Louvam a Deus por sua soberania.  Eram recitados em ocasiões solenes, exaltam a supremacia de Deus.

 

Gratidão: exaltam agradecimento a Deus pelos benefícios obtidos, ressaltando a humildade do reconhecimento da intervenção divina na graça alcançada.

 

Súplica: manifestam nosso temor em relação a inimigos visíveis e invisíveis, aos perigos e ao desconhecido e se pede proteção.

 

Sabedoria: aludem à instrução, reflexão, lições morais, justiça e retidão.
 

Veja abaixo a tabela de distribuição dos Salmos. Há Salmos que podem estar em mais de uma categoria:

 

LOUVOR: 2, 8, 9, 19, 20, 21, 23, 24, 29, 33, 45, 46, 47, 48, 65, 67, 68, 72, 76, 84, 89, 93, 95, 96, 97, 98, 99, 100, 101, 104, 105, 106, 110, 113, 114, 117, 122, 132, 134, 135, 136, 144, 145, 146, 147, 148, 149, 150

 

GRATIDÃO: 9, 18, 30, 32, 34, 40, 41, 66, 87, 92, 107, 116, 118, 124, 129, 138

 

SÚPLICA: 3, 4, 5, 6, 7, 10, 11, 12, 13, 14, 16, 17, 22, 25, 26, 27, 28, 30, 31, 35, 36, 38, 39, 42, 43, 44, 51, 54, 55, 56, 57, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 64, 69, 70, 71, 74, 77, 79, 80, 83, 85, 86, 88, 90, 91, 94, 102, 108, 109, 115, 120, 121, 123, 125, 126, 129, 130, 131, 137, 139, 140, 141, 142, 143

 

SABEDORIA: 1, 14, 15, 25, 37, 49, 50, 52, 53, 73, 75, 78, 81, 82, 103, 111, 112, 119, 127, 128, 133

 

Por fim, é preciso saber ainda que pareça um paradoxo, há Salmos que tem passagens que podem e são usadas em baixa magia e até em invocações satânicas, como acontece com trechos do Salmo 139.  Como toda fórmula mágica, os Salmos podem ser pervertidos e deturpados por pessoas mal-intencionadas.